top of page
Logo-Gc-para-site.png

Programa de Regularização de Débitos com a Receita - A Inovação da Autorregularização Tributária






Nos últimos anos, temos observado uma mudança significativa no cenário tributário brasileiro, e a Lei 14.740, sancionada em 29 de novembro de 2023, marca um passo importante nessa evolução. Esta legislação, que versa sobre a autorregularização incentivada de tributos administrados pela Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil, traz consigo oportunidades valiosas para empresas que buscam regularizar sua situação fiscal de maneira mais eficaz e transparente.


Abrangência e Prazos:


A abrangência desta lei é notável. Ela oferece aos contribuintes a chance de regularizar voluntariamente débitos relacionados a uma variedade de tributos administrados pela RFB, incluindo IRPJ, CSLL, PIS/Pasep e Cofins. É crucial destacar que a autorregularização não se aplica aos débitos apurados no âmbito do Simples Nacional. O prazo para adesão a esse programa inovador se estende até 90 dias após a regulamentação da lei, proporcionando às empresas uma janela de oportunidade para ajustar sua situação fiscal.


Benefícios da Autorregularização:


Uma das características mais atrativas desta legislação é a possibilidade de liquidar débitos com uma redução significativa nos juros de mora. Os contribuintes que aderirem ao programa podem obter uma redução de 100% nos juros de mora, desde que efetuem o pagamento mínimo de 50% do débito à vista. O saldo remanescente pode ser parcelado em até 48 prestações mensais, com juros equivalentes à Selic.


Utilização de Créditos:


A lei também oferece inovações no que diz respeito à utilização de créditos de prejuízo fiscal e base de cálculo negativa da CSLL. Os contribuintes têm a possibilidade de utilizar esses créditos para abater até 50% do valor total do débito. Importante ressaltar que a Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil terá um prazo de 5 anos para analisar os créditos utilizados.


Cessão de Precatórios e Benefícios Contábeis:


Outro aspecto inovador da legislação está relacionado à cessão de precatórios e créditos de prejuízo fiscal e base de cálculo negativa da CSLL para pessoas jurídicas controladas, controladoras ou coligadas. Nesse contexto, os ganhos ou receitas decorrentes dessa cessão não impactarão na apuração do IRPJ, CSLL, PIS/Pasep e Cofins.


Impacto na Apuração Fiscal:


A Lei 14.740/2023 também traz um alívio significativo para a apuração da base de cálculo do IRPJ, CSLL, PIS/Pasep e Cofins. A parcela equivalente à redução das multas e dos juros decorrentes da autorregularização não será considerada nessa apuração, proporcionando um benefício adicional para as empresas que aderirem ao programa.



Conclusão:


Em um cenário tributário muitas vezes desafiador, a autorregularização incentivada surge como uma ferramenta estratégica para as empresas brasileiras. A capacidade de ajustar débitos com redução de encargos e a flexibilidade oferecida para utilização de créditos representam oportunidades valiosas para aprimorar a saúde fiscal das organizações. Empresas que adotarem proativamente essa abordagem podem não apenas otimizar sua situação tributária, mas também fortalecer sua posição competitiva no mercado.


A equipe da Gestão Contábil está à disposição para orientar e apoiar nossos clientes na compreensão e implementação eficaz dessas mudanças. Juntos, podemos explorar as oportunidades oferecidas pela autorregularização incentivada e construir um caminho mais sólido para o futuro fiscal das empresas brasileiras.


















Comments


bottom of page